terça-feira, 14 de outubro de 2014

Oito por Marjorie Estiano

      Wow! O post da vez é da mesma criatura (nome carinhosamente dado para essa pessoa querida) em que eu fiz este post: Natália Vilma. Uma pessoinha de 14 anos que compartilha de alguns muitíssimos bons gostos que eu, (além desse amor incondicional pela atriz e cantora belíssima Marjorie Estiano também). 
       Decidi então pedir a Natália que fizesse a crítica dela ao novo álbum da Marjorie, intitulado "Oito", que você pode acompanhar abaixo! Enjoy! :3  (Por Amanda Soares)

         
    Sete anos! Após praticamente sete anos de espera, Marjorie Estiano lança (no dia 16 de setembro) o seu mais novo álbum, intitulado de "Oito". Particularmente, conheci a cantora/atriz a partir das novelas, em um contato bem mais profundo com a sua carreira de atriz. 
    O encantamento foi de imediato, tornando-se, para mim, uma inspiração no meio artístico, já que participo de um grupo de teatro há certo tempo. Após um breve conhecimento sobre a sua carreira na teledramaturgia, me aprofundei de corpo e alma na sua voz. Forte, feminina e com muita -mas muita- sensualidade. E isso que já era perceptível no primeiro disco (Marjorie Estiano-2005), ficou mais que explícito no terceiro.
      Abracei todas as músicas que fizeram sucesso na época, como os singles "Você Sempre Será" e "Por Mais Que Eu Tente", mas nenhuma se comparava a felicidade que eu sentia a ouvir "Reflexo do Amor" e "Versos Mudos". 
     Dois anos depois, Marjorie lança seu segundo álbum, o "Flores, Amores e Blablablá". E foi quando eu percebi que não podia mais viver sem a regravação de "Oh! Darling" dos Beatles, sem "Espirais", sem o toque mais lento e melancólico de "Doce Novembro", sem lembrar da Rita Lee em "Tatuagem" (que grudou na cabeça por semanas) e ainda acompanhá-la na sua aparição como compositora em "Desencanto".







     Pois bem, depois de todo esse tempo se dedicando a televisão, ao cinema e aos palcos, ela volta com tudo no seu mais novo álbum. 
    E o que esperar de alguém que é declarada apaixonada por John Lennon, que faz parcerias com Gilberto Gil e de quebra ainda canta sucessos na voz de Carmen Miranda? Em "Oito", Marjorie mostra um lado completamente diverso dos seus dois primeiros CD's, deixando um pouco de lado a cantora adolescente Pop-Rock e flertando com a MPB (até mesmo o samba) em um universo mais adulto, mais ousado e sensual. Principalmente na faixa "Alegria Maior Não Tem" com aquele som de triângulo que lembra muito a música Nordestina e que deixa a cantora numa situação diferente da que estava acostumada; as músicas em si diferem muito umas das outras, umas contendo um lado mais retrô, mais alternativo, lembrando as canções das décadas passadas.
     “Oito" tem 11 faixas, entre elas uma parceria com Gil (Luz Do Sol) e outra com Mart'nália (A Não Ser o Perdão); uma música em espanhol (Donde Estás) e outra em inglês (Driving Seat) e um cover de "Ta-Hi"
      Apaixonei-me facilmente pelo seu lado compositora (a maioria das músicas são de sua autoria, o que não era tão comum, já que esse lado não era tão explorado por ela); as músicas são mais rápidas, a sonoridade mais agitada, as letras são belíssimas, os arranjos são incríveis e as fotos (ah, as fotos) só me fizeram ficar mais ansiosa pelo disco físico.

       A capa do álbum. Vejam que coisa perfeita esse toque mais alternativo que deram na foto, que lembra muito o efeito das Polaroids, e a posição das letras. Bem diferente do primeiro e do segundo, que tinham algo mais urbano.

       A primeira foto que apareceu junto com o primeiro single "Por inteiro". Sobre este, inclusive, ouvi um comentário num sebo de CD aqui da cidade, em que um cliente falava para vendedora sobre uma música que fazia parte da trilha sonora da novela das sete (lembrando que "Por inteiro" tocou em Geração Brasil antes mesmo da cantora lançar a música oficialmente). Segundo ele, a tal vendedora iria adorar a canção, pois tinha um toque diferente e parecia muito com Marisa Monte. Abordei-o, questionando se ele não falava exatamente da música nova da Marjorie e o rapaz falou com convicção que não era, pois conhecia bem as músicas da cantora. Foi quando tive a real dimensão de quão diferente a música era das canções anteriores, pois a vendedora me confirmou mais tarde que a música da qual o cliente se referia, era da Marjorie.
      Se os objetivos da cantora, em fim, eram diferenciar os seus álbuns, ousar com os arranjos e as fotos, surpreender a todos com o seu talento como compositora e inovar o mercado com uma produção completamente independente, digo com muita convicção que ela se saiu majestosamente bem.






Para ouvir o álbum completo: Deezer
Para baixar ou comprar o álbum: iTunes

Mais informações: Site Oficial e Página Oficial (Facebook)

2 comentários:

  1. Eu adorava o primeiro álbum da Marjorie ainda no tempo de Malhação. Ouvia direto, adorava a voz dela, as letras, as melodias. Até hoje, depois de tanto tempo sem ouvir, ainda sei de cor as músicas e adoro. Não sabia sobre esses dois novos álbuns dela (o de 2007 e esse novo), e já estou procurando pra ouvir. Adoro o estilo dela, tenho certeza que com esses não será diferente.
    Adorei seu post, e obrigada por compartilha-lo conosco. Dessa forma, relembrei uma cantora que eu gostava muito, e vou voltar a ouvir.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha!
      Obrigada, Gabriela! Ouço a Marjorie já faz um tempo e sou muito fã -como a Amanda, evidente-. Não esqueça de ouvir os álbuns, é muito amor todos os três. <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo